freezing london

Fez frio em Londres. E não foi pouco, e não foi muito… bastante! Não houve chuva, apenas uma espécie de neve falsa, mas nem assim conseguimos vislumbrar uma pontinha de azul no céu.

Ainda assim, pusemos o pé na estrada e conseguimos palmilhar os “hot spots” turísticos quase todos a pé. Começámos a jornada com uma “free” walking tour muito interessante (não é bem free, no final somos convidados a dar qualquer coisinha ao guia. Mas a Rebecca mereceu!), The Story of London, que de uma maneira divertida e nada aborrecida nos deu a conhecer o mais importante ali para os lados do palácio de Buckingham e zona de Westminster, bem como histórias e mitos que não aparecem nos guias turísticos habituais. Nunca tinha experimentado estas free tours, mas será uma experiência a repetir em paragens futuras.

Londres é uma cidade imensa, com uma oferta cultural impressionante, e pessoas (demasiado) ordeiras. Ainda que se note a poluição no ar e a expectável azáfama de uma capital, não há lixo no chão e os carros não buzinam. Mas faltou  música para me conquistar. Sendo o berço de muitos dos meus ídolos talvez fosse com expectativas demasiado elevadas, ou então não passei nos sítios certos.

Valeram as cores de Camden Town e Portobello Road para me animar… E a melhor companhia do mundo, claro 😉

collage_ldn

Anúncios
freezing london

continuamos em modo xoninhas

“Sometimes it seems like you are the only one in the world who’s struggling, who’s frustrated, unsatisfied, barely getting by. But that feeling’s a lie. And if you just hold on, just find the courage to face it all for another day, someone or something will find you and make it all okay. Because we all need a little help sometimes – someone to help us hear the music in their world, to remind us that it won’t always be this way. That someone is out there. And that someone will find you.”
One Tree Hill

continuamos em modo xoninhas

stay strong

A distância é uma grande treta, e o pior é que atrás dela vem o medo. O  medo de falhar, de desiludir e bater com os dentes no chão.

A verdade é que por mais que saibamos que já fomos ao fundo e sobrevivemos, também sabemos que sofrer mais destrate nos pode tornar no ser humano mais desprezível do mundo.

E não, não há motivos para andar nestes desvarios… Mas a par com o amor vem tudo isto, que posso fazer?! Gosto mesmo muito de ti e um dia sem ti já é demasiado tempo. Assim que me tocares isto passa.

Merda. Há músicas que deviam ser proibidas.

stay strong