E  mesmo nestas alturas mais atribuladas, em que o dias passam a voar e têm todas as horas ocupadas, consigo sonhar que estamos os dois sentados ao sol na mesma esplanada de sempre. Eu conto-te as novidades com um sorriso na cara e tu, como de costume, dizes que eu estou orientada e sei o que é melhor para mim. Sorris com os teus olhos verdes como os meus, num misto de orgulho e medo de que a vida aconteça, e fazemos um brinde.

Anúncios

music tuesdays

Sem tempo para mais deixo-vos com os regressos musicais da semana que passou. Desta feita, tudo em registo electrónico.

Aquele abraço para os Daft Punk! Vêm mais comerciais do que o costume, mas o que é bom é sempre bom.

 

 

Empire of the Sun – Alive

 

MGMT – Alien Days (esperava melhor destes lados…)

music tuesdays

real beauty

Por factores genéticos e/ou sociais, é certo e sabido que grande parte do mulherio é duramente crítico no que diz respeito à sua figura.

Keeping this in mind, a Dove teve uma ideia muito engraçada e fez uma experiência neste mini documentário onde um artista forense do FBI desenhou retratos baseados na auto-descrição das participantes e, posteriormente, baseados na opinião de outras pessoas. A conclusão é  óbvia 🙂

real beauty

music tuesdays

E já que este ano o sol deu numa de português e chegou atrasado, vamos ver se o conseguimos manter por cá com uns sonzinhos à maneira!

 

Para dizer bom dia à Primavera (e às alergias, por arrastamento), Clarice Falcão, mais um talento da nova música brasileira a manter debaixo de olho.

 

Haverá melhor do que acabar o dia numa esplanada com um fino e um chillout de Bonobo a acompanhar?!

music tuesdays

Isaura de Jesus

A minha bisavó tem um nome simples, que facilmente se associaria a uma qualquer personagem famosa, e uma personalidade que também não fica atrás. Simples, mas incomparável.

A minha bisavó faz hoje 98 anos e, apesar de quase surda,  está completamente lúcida. Fala muito alto e adora cantar. É super curiosa. Consegue saber a vida que levam todos os filhos, netos e bisnetos (não fiz bem as contas, mas todos juntos somos mais que 30), e mais umas dezenas de pessoas das redondezas.

A minha bisavó já viu morrer dois maridos e dois filhos, já adoeceu gravemente várias vezes, não sabe ler nem escrever, e pelos cuidados que agora inspira vive num lar de 3ª idade. Ainda assim é possivelmente a pessoa mais bem disposta que eu conheço, e eu visito-a sempre que posso.

A minha bisavó, desde que a conheço, não acredita em más intenções e parece-me que sempre foi pessoa de perdão fácil. Quando visito a minha bisavó percebo que as boas pessoas, as que não guardam rancores nem esperam sempre a próxima facada nas costas, vivem mais anos e são mais felizes.

Talvez o segredo da longevidade seja não esperar demasiado na vida.

Porque as homenagens fazem mais sentido enquanto andamos neste mundo, Parabéns avó do lenço!

378475_10151262990904863_2005200843_n

Isaura de Jesus

A arte do desapego

Passamos anos a achar que somos pessoas íntegras e que jamais faremos aos outros o que não gostamos que nos façam a nós. Eventualmente, chegamos ao ponto em que nos fartamos de ser xoninhas e estar sempre dispostos a dar mais do que receber e aí, simplesmente, já não importa. Falando em bom português, aprendemos a cagar no assunto.

É esta a última instância do desapego, o desprezo absoluto. Não queria usar aqui o termo vingança, porque na realidade não se trata de ajustes de contas. A arte do desapego deve ser vista como a opção por um modo de vida psiquicamente leve e  saudável.

Não se pense que este é um processo fácil para quem teve desde sempre uma existência pautada de certos valores. Mas, e mais uma vez como o nosso povo diz, tudo acaba nesta vida… E a paciência não é excepção!

A arte do desapego