O dia em que eu fiz um post fashion

Se o mundo deixa sair à rua pessoas que vestem leggings com camisolas curtas (estou tão farta de ver pipis e rabos alheios), que usam unhas tuning e têm capas de telemóvel com berloques e orelhas de coelho, porque não poderia eu perder a cabeça e arranjar umas sapatilhas cheias de purpurinas?

image

(Não sei enfiar atacadores e ainda os aperto como ensinam no jardim de infância)

O dia em que eu fiz um post fashion

Broken

Finalmente um filme de 2013 (é de 2012, mas vá) que sim senhora, gostei mesmo!

Não sei se já disse que, regra geral, prefiro o cinema europeu ao hollywoodesco. Gosto de filmes que mostrem pessoas normais, com vidas normais, onde nem todos são advogados/executivos bem sucedidos, e com toda a tragédia e comédia a que uma vida normal tem direito. E este Broken (que é britânico, btw) tem isso tudo. É um filme simples que mostra como num pequeno bairro encontramos facilmente pessoas boas, pessoas doentes, pessoas más e/ou traumatizadas, e o que pode resultar de toda esta convivência,

Ah! E tem uma banda sonora à altura, a cargo de Damon Albarn (o man dos Blur que aqui participa com os Electric Wave Bureau).

Broken

em agosto isto é uma seca

Já me enoja fotos de  bolas de berlim,  pernas besuntadas de azeite marca branca num areal qualquer,  comidas e bebidas que toda a gente come e bebe, pessoas que usam leggings com partes de cima curtas.

Retribuo então com fotos da minha gata, que tem para vosotros tanto interesse como essas cenas todas para mim, e que cresceu comó caraças neste dois meses.

Foto de perfil
Retrato
Alerta laranja, gafanhoto à retaguarda
Alerta laranja, gafanhoto à retaguarda
'Tás a olhar para o meu prato por acaso?
‘Tás a olhar para o meu prato por acaso?
Yoko pede mimo no terraço do seu T1+1
Yoko pede mimo no terraço do seu T1+1
em agosto isto é uma seca

maravilhas do smartphone parte XVII

À falta de cérebro capaz de produzir os post habituais, tenho que aproveitar estes flashs momentâneos para fazer um tudo-em-1 (que tal como nos champôs, são de qualidade duvidosa).

O Shazam foi uma das coisas que me fez investir num smartphone (sim, sou music geek a esse ponto). Adoro aquela cena de estar num bar, como me aconteceu ontem, começar a tocar uma música bacana e poder descobrir no minuto de quem é!

Foi assim que descobri  Bastille! Mais uns que têm nome de pseudo hipster, mas que pelo contrário mostram que esta nova geração ainda sabe fazer um pop rock melódico à moda antiga.

E é assim que começo a contagem decrescente. Faltam 3 dias para as mini-férias (tem que ser, antes que dê o tilt), e 1 mês e 7 dias para as férias a sério (com direito a abraços estrangeiros, dentro e fora de Portugal 😀 ).

maravilhas do smartphone parte XVII

tenho um nó no cérebro e isto é tudo o que consigo dizer

Eu gosto de animais e respeito-os como semelhantes, com as devidas diferenças. É por isso que não concebo a ideia de defender (isto é defender entre parêntesis para quem conseguir perceber) e financiar (!)  um ser (tendo em conta as suas características naturais) que mata outro .

Os juízes do Porto estão bêbedos e a precisar de férias.

O sol faz mal à cabeça das pessoas.

Eu também preciso de férias.

Slip 'n slide like a boss

tenho um nó no cérebro e isto é tudo o que consigo dizer